Currículo Básico Psicomotricidade


Elaboração e Organização:
Comissão Científica SBP - Capítulo Nacional
Beatriz Saboya
Regina Morizot
Solange Thiers

Índice
1- Justificativa p.1
2- Objetivo Geral p.2
3- Objetivos Específicos p. 2
4- Público Alvo p. 2
5- Currículo Básico da pós-graduação em Psicomotricidade p. 2
6 - Ementas p. 3
7 - Metodologia usada na Parte Teórica p.6
8- Bibliografia Geral p. 6

1- Justificativa
Para justificar a criação do currículo básico, temos que retomar às raízes do passado, propiciando a compreensão do momento atual, no cenário da psicomotricidade - a demanda de Cursos de Especialização, no Brasil.
O termo psicomotor foi usado pela primeira vez no século XIX, por Wernick, renomado psiquiatra austríaco, referindo-se ao sintoma que um dos seus pacientes apresentava. A psicomotricidade surge em 1907 com Ernest Dupré, considerado a principal referência da área, a partir de observações clínicas, que enfatizam o paralelismo das manifestações motoras e psíquicas: "...entre certas alterações mentais e as alterações motoras correspondentes, existe uma união tão íntima, que parecem constituir verdadeiras parelhas psicomotoras..."
Com o decorrer do tempo, as constatações empíricas, cederam lugar à necessidade premente de pesquisas, que permitissem a compreensão da etiologia dos distúrbios e o tratamento dos indivíduos portadores destes sintomas. Entre 1907 e 1947, já não era predominante o imperialismo neurológico, o que não impediu que a psicomotricidade relutasse em integrar os trabalhos de Freud (1913), Wallon,(1934) e Piaget (1936), o que fez posteriormente. Neste mesmo período, houve influência significativa de pedagogos - Montessori, Decroly e outros, reforçando uma perspectiva pedagógica.
Os primeiros cursos surgiram entre 1947 e 1962, na Bélgica e na França, em hospitais e centros de saúde, e o primeiro curso de especialização para profissionais da educação e saúde foi realizado em Paris.
Em 1959, Ajuriaguerra, neuropsiquiatra basco, aprofundando e interligando os conhecimentos oriundos da Neurologia, da Psicologia do Desenvolvimento e da Psicanálise, estabelece uma nova dimensão da psicomotricidade, integrando os trabalhos de Wallon, Piaget, Freud e seus seguidores. O paralelismo psicomotor, que constituiu um dogma durante muitos anos, cede lugar a uma outra visão, rompendo com o dualismo, estabelece a unidade biológica, afetiva e cognitiva. De forma determinada, a psico-motricidade perde o hífen, e passa a ser "psicomotricidade".
As evoluções do processo atravessam fronteiras, e no Brasil na década de 60, profissionais das áreas de educação e saúde organizam cursos de especialização, para graduados. Era premente o conhecimento da origem das causas e dos sintomas e a busca dos meios efetivos para cuidar dos indivíduos com desarmonias e transtornos psicomotores, enfatizando as duas áreas.
O efeito deste movimento deu origem à fundação, em 1982, da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade, com a participação de:
- Profissionais de sete diferentes áreas - fonoaudiologia, fisioterapia, medicina, musicoterapia, psicologia, pedagogia e educação física. - Representantes de sete Estados do Brasil, a saber - RJ, MG, BA, RS, SP, PE e DF.
A SBP tem desenvolvido centenas de trabalhos científicos desde esta época. De 1984 a 2007 somam-se dez Congressos, dezenas de livros e centenas de artigos e pesquisas científicas de autores brasileiros. A SBP é uma realidade nacional respeitada no meio científico, pela ética e profissionalismo no desenvolvimento de suas atividades. No presente momento, sentimo-nos comprometidos com a demanda universitária.
Aliamos à experiência teórica-clínica de profissionais da Comissão Científica, a solicitação de várias universidades, para atender a uma das necessidades da classe que é o Currículo Básico para os Cursos de Especialização.

2 - Objetivo Geral:
Capacitar os alunos para o exercício profissional da práxis psicomotora no âmbito educacional e clínico, promovendo a inter-relação dos conteúdos das ementas ao processo de assimilação da aprendizagem.

3 - Objetivos específicos:
- Preparar o profissional para as funções educacional e clínica psicomotora.
- Promover o conhecimento do desenvolvimento psicomotor, analisando os entrelaçamentos físicos, afetivos e cognitivos.
- Fundamentar teoricamente o profissional para a prática da avaliação, o planejamento educacional e a clínica
- Discutir as contribuições da Neurociência, das Teorias Construtivistas Cognitivas, da Filosofia, da Psicanálise e as de origem Psicomotora nas intervenções educacionais e clínicas

4 - Público Alvo
Profissionais das áreas da saúde e da educação interessados no processo de desenvolvimento humano para além de uma perspectiva evolucionista.

5 - Currículo Básico da pós-graduação em Psicomotricidade
a) Disciplinas Teóricas - 300 h/a
A.1 - Epistemologia da Psicomotricidade 15h/a
A.2 - Desenvolvimento Psicomotor e interseções 20h/a
A.3 - O Corpo e a Construção do Saber 20h/a
A.4 - Fisiologia do Movimento 20h/a
A.5 - Bases Neuropsicológicas do Desenvolvimento Psicomotor 30h/a
A.6 - Introdução a Psicopatologia 20h/a
A.7- Análise e Intervenção nas Alterações do movimento: da Neonatologia à Gerontomotricidade 20h/a
A.8 - Contribuições da Filosofia à Psicomotricidade 20h/a
A.9 - Contribuições da Psicanálise à Psicomotricidade 20h/a
A.10 - Profilaxia e Educação Psicomotoras 25h/a
A.11 - Terapia Psicomotora 25h/a
A.12 - Metodologia Científica 15h/a
A.13 - Supervisão de Estágio 20h/a
A.14 - Orientação de Monografia 30h/a

b) Disciplinas Práticas - 60 h/a
"Conhecer a si e ao outro pela Psicomotricidade"
As disciplinas práticas devem ser ministradas na forma de oficinas psicomotoras. Das 60h/a exigidas, 35h/a devem ser realizadas segundo os temas obrigatórios descritos abaixo. O restante da carga horária (25h/a) pode seguir a temática das oficinas sugeridas ou outros temas importantes para a formação prática do psicomotricista.

b.1) Oficinas Psicomotoras Obrigatórias:
Sensibilização Corporal 5h/a
Consciência Corporal 5h/a
O lúdico e o brincar 5h/a
Técnicas de relaxação 5h/a
O toque e o olhar 5h/a
Dinâmica de entrevistas para crianças, adolescentes e adultos 5h/a
Sensibilização Corporal II -Ressignificando significados 5h/a

b.2) Oficinas Psicomotoras Sugeridas:
Esquema Corporal e Imagem Corporal 5h/a
Orientação espaço-temporal 5h/a
O corpo como forma de expressão 5h/a
Representações plásticas como recurso de Expressão 5h/a
Terapia de família 5h/a

c) Estágio Supervisionado 60 h/a

Disciplinas Teóricas - 300 h/a
Disciplinas Práticas - 60 h/a
Estágio Supervisionado 60 h/a
Carga horária total do curso: 420 h/a

6 - Ementas:
A.1 - Epistemologia da Psicomotricidade

Especificidade da Psicomotricidade.
Relações da Psicomotricidade com outras formas de intervenção.
Formação Profissional em Psicomotricidade: teórica, pratica e pessoal.
Conceitos Fundamentais em Psicomotricidade.
O conhecimento nas áreas de intervenção profissional: educação e clínica.

A.2 - Desenvolvimento Psicomotor e Interseções
Desenvolvimento da Psicomotricidade segundo as teorias Psicogenéticas.
Fundamentos do desenvolvimento psicomotor: aspectos motores, relacionais e cognitivos.
Aportes teóricos de Ajuriaguerra, Bergès, Gesell, Le Boulch, Lefèvre, Piaget e Wallon.

A.3 - O Corpo e a Construção do Saber
A importância do corpo na construção do saber e na escola.
Alterações psicomotoras e suas interferências no processo de aprendizagem.
O brincar e a brinquedo.
O corpo do aluno e o corpo do professor.
Construção do esquema corporal e da imagem corporal.
Comunicações não verbais, verbais e expressões afetivas.
Escalas evolutivas e suas fundamentações teóricas.
Construção subjetiva do corpo na dimensão do social.
Intervenção psicomotora grupal.
Intervenção psicomotora em instituições: família, escola, empresa e hospital.

A.4 - Fisiologia do Movimento
Elementos da fisiologia do movimento.
Funções segmentares corporais na produção do movimento.
Princípios mecânicos vinculados às estruturas ósteo-músculo-articulares.
Anatomofisiologia da contração muscular.
Aspectos posturais, locomotores e da preensão.

A.5 - Bases Neuropsicológicas do Desenvolvimento Psicomotor
Neurociência e Psicomotricidade.
Teoria Neuropsicológica de Luria.
Ontogênese da motricidade, da mobilidade e da motilidade.
Relação entre a Psicomotricidade e a significação neuropsicológica.
A importância da observação dos micros e macros movimentos.
A práxis de Luria no processo da aprendizagem.
Compreensão Neuropsicológica das expressões corporais e verbais.
Regulação tônica nas funções sensoperceptomotoras.
Desenvolvimento da criança: aspectos somáticos, afetivos, ambientais e sociais.
Avaliação Psicomotora.
Identificação dos níveis de desenvolvimento correlacionados à idade cronológica.
Compreensão da estrutura corporal e suas possibilidades funcionais.

A.6 - Introdução à Psicopatologia
Diagnóstico diferencial entre as alterações motoras, psicomotoras e psicopatológicas.
Sintomas somatopsíquicos e psícossomáticos.
Intervenção Psicomotora em estruturas atípicas - Transtornos Invasivos do Desenvolvimento.

A.7- Análise e Intervenção nas Alterações do movimento: da neonatologia à gerontomotricidade
O neonato e a interação mãe /filho.
Do ato reflexo à motricidade voluntária.
Macro movimentos.
Micro movimentos: respiração, tônus, coloração, vibração, pulsação, gestos e expressões faciais.
Neuroevolução e controle motor.
Metodologias que promovem o controle motor.
O idoso e a gerontopsicomotricidade.

A.8 - Contribuição da Filosofia à Psicomotricidade
O lugar do corpo na história da Filosofia.
O olhar filosófico do corpo nas diferentes culturas.
O corpo na atualidade e suas interseções.
O corpo e a arte.
A ética na clínica psicomotora.
O Código de Ética da SBP.

A.9 - A Contribuição da Psicanálise à Psicomotricidade
Bases teóricas do pensamento Psicanalítico.
Vínculos entre as questões sintomáticas e a representação corporal.
Correntes que vinculam Psicanálise à Psicomotricidade.

A.10 - Profilaxia e Educação Psicomotora
Período gestacional.
A criança de 0 a 3 anos.
A criança de 3 a 6 anos.
A criança de 6 a 12 anos.
Adolescência.
O psicomotricista na escola.

A.11 - Terapia Psicomotora
Diferença entre gesto e movimento.
O olhar, o toque, o jogo e o brincar na terapia.
Formação do terapeuta na clinica Psicomotora.
Vínculo e transferência na terapia.
A expressão pelo corpo, objeto, e palavra.
O corpo e o olhar do outro
Perfil Psicomotor.
Transtornos Psicomotores.
Transformações do indivíduo no social.
Intervenção na clínica psicomotora

A.12 - Metodologia Científica

Metodologia cientifica: quantitativa, qualitativa, subjetiva e objetiva.
Ante-Projeto Científico dentro das normas da ABNT.
Levantamento Bibliográfico.
Normas atuais da ABNT

A.13 - Supervisão de Estágio
Seleção e organização dos atendimentos: individual e grupo.
Avaliação Psicomotora: entrevistas, sessões livres e perfil psicomotor. Compreensão diagnóstica e laudo
Acompanhamento dos atendimentos e relatórios.

A.14 - Orientação de Monografia
Projeto de pesquisa
Bibliografia.
Leitura Sistemática.
Fichamento.
Orientação quanto à forma e conteúdo
Normas ABNT
Escrita Produtiva

A.15 - Estágio Supervisionado
Delimitação do campo de trabalho.
Seleção de casos
Plano de atendimento em Psicomotricidade individual e grupal.
Atendimento

7 - Metodologia usada na Parte Teórica
Aulas expositivas e dialogadas.
Transparências, Internet, DVD, VHS, PPS e filmes.
Leitura prévia de textos
Debates e Seminários.


8- Bibliografia Geral
ABERASTURY, A. A Criança e seus jogos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.
___________ Adolescência. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.
___________ Uma vida para seu filho. Rio de Janeiro: Campus, 1988.
ABERNETHY, K. & GILLARD, H. Saltar e brincar. Argentina: Panamericana, 1978.
AJURIAGUERRA, J. Manual de psiquiatria infantil. São Paulo: Masson, 1983.
AJURIAGUERRA, J. & MARCELLI. Psicopatologia infantil. São Paulo: Masson, 1986.
ANDOLFI, M. & COLABORADORES. Por trás da máscara familiar. Porto Alegre: Artes Médica, 1984.
ANZIEU, D. Eu Pele. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1988.
ALEXANDER, G. Eutonia,um caminho para percepção corporal. São Paulo: Martins Fontes, 1983.
ARISTÓTELES, Ética a nicômaco. Coleção Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
AUCOUTURIER, B., DARRAULT, I., EMPINET, J.L. A Prática psicomotora - educação e terapia. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.
___________ & LAPIERRE, A. Bruno. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.
___________ & LAPIERRE, A. Fantasmas corporais e prática psicomotora. São Paulo: Manole Ltda, 1984.
BENO, F. Ética - filosofia e estética. Rio de Janeiro: Central UGF, 1997
BERGE, I. - Viver o seu corpo. S. Paulo: Martins Fontes, 1988.
BERGÈS, J. & BOUNES, M. La Relajacion terapêutica en la infância. Barcelona: Toray-Masson, 1973.
___________ - Escritos da Criança. Porto Alegre: Centro Lydia Coriat de PortoAlegre, 1988.
BERNARD, M. El cuerpo. Buenos Aires: Paidós, 1980.
BERTHERAT, T. O corpo tem suas razões. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1970.
BOFF, L. Saber cuidar - a ética do humano. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.
BOYESEN, G. Entre psique e soma. São Paulo: Summus, 1988.
BRANDÃO, S. Desenvolvimento psicomotor das mãos. Rio de Janeiro: Enelivros, 1984.
BRENNER, C. Noções básicas de psicanálise. São Paulo: Imago, 1987.
BUENO, J. M. Psicomotricidade, teoria & prática - estimulação, educação e reeducação psicomotora com atividades aquáticas. São Paulo: Lovise, 1998, CABRAL, S. Educar vivendo. Belo Horizonte: Barvalle, 1986.
___________ Psicomotricidade relacional. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.
CAMPOS, D. Psicomotricidade - Integração Pais, Criança e Escola. 2ª ed. Fortaleza: Livro Técnico, 2007.
CAVANHA, A. O. Ensaios sobre as aventuras da ciência. Curitiba: s/ed., 1978.
CHALANGUIER, C. A Expressão corporal. R.J.: Entrelivros Cultural, 1974.
CHANGEUX, J. (organizador) Uma ética para quantos? São Paulo: EDUSC, 1999.
CHAZAUD, J. Introdução à psicomotricidade. São Paulo: Manole, 1976.
COSTALLAT, D. Psicomotricidade: a coordenação visomotora e dinâmica da criança infradotada. Porto Alegre: Globo, 1971.
COSTE, J. A Psicomotricidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
DAMASIO, A. O mistério da consciência. São Paulo, Cia. das Letras, 2.000.
___________ Em busca de Espinosa - prazer e dor na ciência dos sentimentos. Petrópolis: Cia. das Letras, 2004.
DEJOURS, C. O Corpo . Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.
DOLLE, J.M. Para compreender Jean Piaget:uma iniciação à Psicologia Piagetiana. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987.
DOLTO, F. Dificuldade de viver. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.
___________ No jogo do desejo. Rio de Janeiro: Zahar, 1984.
___________ - La imagem inçonsciente do corpo. Barcelona: Paidós, 1986.
DOR, J. O pai e sua função em psicanálise. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1991.
FERNANDES, A. A inteligência aprisionada. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.
FONSECA, V. Psicomotricidade. São Paulo: Martins Fontes, 1983.
___________ Escola, escola, quem és tu . Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.
___________ Contributo para o estudo da gênese da psicomotricidade. Lisboa: Notícias, 1976.
___________ Manual de observação psicomotora. Lisboa: Editorial Notícias, 1992.
___________ Psicomotricidade, , filogênese, ontogênese e retrogênese. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
FREUD, S. Edição Standart Brasileira das Obras Completas. Rio de Janeiro, Imago, 1991.
FELDENKRAIS, M. vida e movimento. São Paulo: Summus, 1984.
GAIARSA, J. Respiração ,angústia e renascimento. São Paulo: Ícone, 1994.
GALLIANO, A. G. O método científico, teoria e prática. S. Paulo: Mosaico, 1979.
GOLSE, B. Desenvolvimento Afetivo e Emocional da Criança. P. Alegre: Artes Médicas, 1988.
GUILLARME, J. J. Educação e reeducação psicomotora. Porto Alegre: Artes Médicas, 1984.
HILFERDING, M., PINHEIRO. T., VIANNA, H. As bases do amor materno. São Paulo: Escuta, 1991.
HURTADO, J. Glossário básico de psicomotricidade e ciências afins. Paraná: Editer, 1983.
IMBERT, F. A questão ética no campo educacional. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.
JARDIM, C. Brincar: um campo de subjetivação na infância. São Paulo: Anna Blume , 2002.
JERUSALINSKY, A. Psicanálise e desenvolvimeno infantil. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989. KLEIN, M. Os Progressos da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
___________ Psicanálise da criança. São Paulo: Mestre Jou, 1975.
___________ Sentimento de solidão. Rio de Janeiro: Imago, 1975.
KLEIN, M. & RIVIÈRE Amor, odio e reparação. Rio de Janeiro: Imago, 1975.
KOHUT, H. Self e narcisismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1984.
KOSIK, K. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. LACAN, J. O Seminário. Livro I - os escritos técnicos de Freud. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.
___________ O Seminário. Livro 11 - Os quatro conceitos fundamentais. Rio de Janeiro: Zahar, 1964.
LAPIERRE, A. psicanálise e análise corporal da relação - semelhanças e diferenças. São Paulo; Lovise, 1997.
LAPIERRE, A. & AUCOUTURIER, B. Les matices. Barcelona : Científico-Médico, 1977.
___________ Simbologia do movimento. Barcelona: Científico-Médico, 177.
___________ Educação vivenciada. V. I - Os contraste. V. II - Associação de contrastes, estuturas e ritmos. VIII - As nuanças. São Paulo: Manoel, 1985.
___________ A Educação psicomotora na escola maternal. São Paulo: Manole, 1986. ___________ Da psicomotricidade relacional à análise corporal da relação. Curitiba: UFPR - CIAR, 2002.
LAPIERRE, A. & LAPIERRE, A. O adulto diante da criança de 0 a 3 anos: psicomotricidade relacional e formação da personalidade. Curitiba: UFPR:CIAR, 2002.
LAPLANCHE & PONTALIS. Vocabulário de psicanálise. São Paulo: Martins Fontes, 1979. LAVADOUX, D. Re-nascer, uma outra maneira de viver. Rio de Janeiro, Icobé, 1987.
LEBOVICI, S. El Lactante, su madre y el psicanalista. Argentina : Amorrotu, 1988. LEBOVICI, S. & WEIL HALPERN, F. A Psicopatologia do bebê. Madrid: Siglo Veintiuno Editores, 1995.
LEBOVICI & DIATKINE. O significado e função do brinquedo na criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.
LE CAMUS, J. O corpo em discussão. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 1986.
LE BOULCH, J. Educação pelo movimento. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 1983.
__________ O desenvolvimento psicomotor - do nascimento até 6 anos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.
LECLAIR O Corpo e a letra. São Paulo, Martins Fontes, 1989.
LEFÈVRE, A. Exame neurológico evolutivo. São Paulo: Sarvier, 1976.
LEMAIRE, A. Jacques Lacan - uma introdução. Rio de Janeiro: Campus, 1979.
LEVY, J. O Despertar do bebê. São Paulo: Martins Fontes, 1972.
LEVIN, E. A Clínica psicomotora - O corpo na linguagem. Petrópolis: 1995.
___________ O Gesto e o outro, o visível e o invisível. Porto Alegre: Centro Lídia Coriat, Escritos da Criança n. 3, 1990.
___________ A Infância em cena. Petrópolis: Vozes, 1977.
___________ Clinica e educação com as crianças do outro espelho. Porto Alegre: Vozes, 2005.
___________ A Função do Filho: Espelhos e Labirintos da Infância. Petrópolis: Vozes, 2001.
LOUDES, J. Educacion psicomotriz e atividades físicas. Barcelona: MédicoCientífica,1973
LOVISARO, M. Educação psicomotora na pré-escola. - guia prático de prevenção das dificuldades de aprendizagem. Rio de Janeiro: Moderno, 1999.
LOWEN, A. Prazer, - uma Abordagem Criativa da Vida. São Paulo: Summus, 1984.
___________ O Corpo traído. S. Paulo: Summus, 1978.
___________ O corpo em terapia. S. Paulo: Summus, 1977.
___________ O corpo em depressão. S. Paulo: Summus, 1979. LURIA, A. R. El cérebro em acción. Barcelona: Fontanella Sª, 1979.
___________ Atencion y memória. Barcelona: Fontanella, 1979.
___________ Sensacion y percepcion. Fontanella, 1979
___________ Curso de psicologia geral. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970
LURIA, A. R., YODOVICH, F., IA. Langage y desarrolo intelectual en el nino. Madrid: Pablo Del Rio, 1956.
MAHLER, M. Proceso de separação e individuação. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 1982. MAHLER, M., PINE, F. & BERGMAN, A. - O Nascimento psicológico da crianças:simbiose e individuação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.
MARINHO, H. Brincar e reeducar. Rio de Janeiro: Revinter, 1993.
MARINO JR, R. Fisiologia das Emoções. São Paulo: Savier, 1975.
MATTOS FERREIRA, C.A. & COLABORADORES - Psicomotricidade, da educação infantil à gerontologia. São Paulo: Lovise, 2000.
MATTOS FERREIRA, C. A., THOMPSON, R. & COLABORADORES Imagem e esquema corporal. São Paulo: Lovise, 2002.
MATTOS FERREIRA, C.A., THOMPSON, R., MOUSINHO, R. - Psicomotricidade clínica. S. Paulo: Lovise. 2001.
MAXIMO, L.M. Imagem corporal- uma leitura pedagógica. São Paulo: Stiliano Centro Universitário Salesiano de São Paulo, 1998.
MATTOS, V. & KABARITE, V. Perfil psicomotor. Rio de Janeiro: Rio, 2005. MELLO, A. Psicomotricidade - educação física e jogos infantis. São Paulo: Ibrasa, 1989.
MINUCHIN, S. Famílias, funcionamento e tratamento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.
MYERS THOMAS, W. - Trilhos anatômicos. São Paulo: Manoel, 2003.
MONTAGU, A. Tocar - o significado humano da pele. Rio de Janeiro: Summus, 1988. MORIZOT, R. O Corpo do terapeuta. in Anais do III Congresso Brasileiro de Psicomotricidade. Porto Alegre, Universidade, 1988.
NASIO, J. D. - Os sete conceitos cruciais da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1996. OLSON, S. - A História da humanidade. Rio de Janeiro: Campus, 2003.
PAES, R. Psicopatologia, seus fundamentos dinâmicos. (3ª edição) Buenos Aires: Nueva Vison, 1975.
PAIN, S. A Função da ignorância - Estruturas Inconscientes do Pensamento. Vol. 1. P. Alegre: Artes Médicas, 1985.
___________ A função da ignorância - A gênese do inconsciente. Vol. 2. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.
___________ Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.
PENNA, A. G. Introdução à epistemologia. Rio de Janeiro: Imago, 2000.
PIAGET, J. Psicologia da inteligência. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1972.
___________ Seis estudos de psicologia. Rio de Janeiro: Forense, 1986.
___________ A Construção do real na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.
PONTY, M. Fenomenologia da percepção. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
___________ O visível e o invisível. São Paulo: Perspectiva, 1971.
PRISTA, R. M. Superdotados e psicomotricidade. Petrópolis: Vozes, 1994.
QUIRÓS, J. & SCHRAGEN, O. Lenguage, aprendizage y psycomotricidade. Buenos Aires : Panamericana, 1979.
SABOYA, B. Bases psicomotoras. 2ª ed. Rio de Janeiro: Trainel, 1999.
___________ - Perfil psicomotor em coconstrução - bases teóricas e técnicas. Rio de Janeiro: Trainel, 1999.
SABOYA, B. & REICH, S. O eixo e as funções orofaciais. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.
SOBOTTA. Atlas de anatomia humana. São Paulo: Guanabara Koogan, 1995.
SANDOR, P. Técnicas de relaxamento. Rio de Janeiro: Vetor, 1974.
SANTA ROSA, E. Quando o brincar é dizer. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1993.
SCHILDER, P. A Imagem do corpo. São Paulo: Martins Fontes, 1980.
SCHULTZ, J. H. O Treinamento autógeno. São Paulo: Ed. Mestre Jou, 1950.
SINCLAIR, A. El nino torpe. Buenos Aires: Ed. Panamericana, 1976.
SPECTOR, N. Manual para a redação de testes, projetos de pesquisa - artigos científicos. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.
SPITZ, R. O primeiro ano de vida. S. Paulo: Martins Fontes, 1983.
___________ A formação do ego. S. Paulo: Martins, 1973.
THIERS, E. (organizadora). Compartilhar em terapia. São Paulo: Casa do Psicólogo,1998.
THIERS, S. e Colaboradores Sociopsicomotricidade Ramain-Thiers - uma leitura emocional corporal e social. 2ª ed., vers e atual, São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.
__________ Ética Pública. Londrina: CEFIL, 2003.
THIERS, S. & THIERS, E. A Essência dos vínculos. Rio de Janeiro: Altos da Glória, 2001.
VASQUEZ, A. Ética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
VECCHIATO, M. Psicomotricidade relacional e terapia. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.
VIEIRA, J.L., BATISTA, M. & LAPIERRE, A. Psicomotricidade relacional: a teoria de uma prática. Curitiba: Ciar, 2005.
VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
___________ O desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
VYGOTSKY, L., LURIA, A. R., & LEONTIEV. A. N. Bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. São Paulo: Moraes, 1991. WALLON, H. As origens do caráter na criança. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1971. ___________ Do ato ao pensamento. Lisboa: Moraes, 1970.
WINNICOTT, D. A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.
___________ O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Ed. Imago, 1975.
___________ Da pediatria à psicanálise. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1982.
___________ O ambiente e os processos de maturação. Porto Alegre: Artes Médicas,1983.
___________ Holding e interpretação. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
___________ A família e o desenvolvimento individual. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
___________ Os bebês e suas mães. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
___________ Tudo começa em casa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
VAYER, P. & TOULOUSE Linguagem corporal. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.
WEIL, P. & TOMPAKOW, R. O Corpo fala. Petrópolis: Vozes,1981.
ZIMERMAN, D. Fundamentos psicanalíticos - teoria, técnica e clínica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

REVISTAS E ANAIS
Anais do I Congresso Brasileiro de Psicomotricidade. - Rio de Janeiro: 1980.
Anais do II Congresso Brasileiro de Psicomotricidade. Belo Horizonte: 1984.
Anais do III Congresso Brasileiro e I Seminário Internacional de Psicomotricidade. Porto Alegre: Ed. da Universidade, 1986.
Anais do IV Congresso Brasileiro de Psicomotricidade e I Encontro de Profissionais Brasileiros de Psicomotricidade. Rio de Janeiro: 1992.
Anais do VI Congresso Brasileiro de Psicomotricidade. Rio de Janeiro: 1995.
Anais do VII Congresso Brasileiro de Psicomotricidade. Fortaleza: 1988.
Anais do VIII Congresso Brasileiro de Psicomotricidade. Olinda: 2004.
Continuidade. Boletim do Centro de Estudos Simone Ramain. Rio de Janeiro. Do Corpo e da Linguagem. Rio de Janeiro: Icobé. 1982 a 1987.
Ipera. Boletim Informativo da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade. Rio de Janeiro. La Psycomotricité. Revista Científica da Fédération Française de Psychoreéducateurs. Paris.
Mosaico. Revista Científica da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade. Capítulo Paraná. 1998. Capítulo Rio de Janeiro. 2001

Elaborado pelos membros da Comissão Cientifica em 17 de abril de 2007. Atualizado, em 28 de agosto de 2009, pelos membros da Comissão Cientifica e da diretoria da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade.